quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

INVEJA. OSHO O Livro da Sabedoria, Vol. II

INVEJA

Inveja é comparação.
E nós fomos ensinados a comparar;

Fomos condicionados a comparar, a sempre comparar.

Alguém tem uma casa melhor, alguém tem um corpo mais bonito, alguém tem mais dinheiro, alguém tem uma personalidade mais carismática: compare.

Continue comparando você com todo mundo que passar e uma grande inveja será o resultado; é um subproduto desse condicionamento.

Caso contrário, a inveja desaparece se você deixar cair a comparação. Então você simplesmente sabe quem você é e você não é ninguém mais e não há necessidade de ser, também.

É bom que você não se compare com as árvores, caso contrário você vai começar a sentir muita inveja: por que não está verde? E por que a existência foi tão dura com você - sem flores?

É melhor que você não se compare com os pássaros, com os rios, com as montanhas, senão você vai sofrer. Você só se compara com os homens, porque é assim que você foi condicionado; você não se compara com pavões e papagaios.

Caso contrário, sua inveja seria mais e maior: você estaria tão sobrecarregado pela inveja que não estaria apto a viver.

A comparação é uma atitude muito tola, porque cada um é individualmente único e incomparável. Uma vez que este entendimento se estabelece em você, a inveja desaparece.

Cada um é único e incomparável. Você é apenas você mesmo: ninguém nunca existiu como você e ninguém nunca vai ser como você. E você não precisa ser como qualquer outra pessoa também.

A existência só cria originais; Ela não acredita em cópias de carbono.

OSHO
O Livro da Sabedoria, vol. II

Sem comentários:

Enviar um comentário